terça-feira, 22 de maio de 2007

Paz






Olho o mar em
silêncio
A mansidão da onda que toca meus
pés
Traz uma canção, uma só melodia.
Deixa na praia um
verso
O amor na areia dos amantes
Morre a onda, feliz!
Soberana
Em espumas brancas
E em paz!
Salinas, 1977
Crys






20 comentários:

Ro disse...

Teste

Shi disse...

Eu sempre tive vontade de escrever isso na areia - o problema é que some tudo tão rápido...rs. Gostei muito da união dessas duas criaturas que eu ADORO! Bjos.

dácio jaegger disse...

Testes e testes foram feitos e tantos que testei a cabeça no teclado mas o blogue está aqui. Não fez galo mas dormi e acordei com o marulhar deste lindo poema, que completa dez aninhos.Parabéns Crys./PS: Abrindo gavetas e caixas e até livros com poesias para trazer para cá, afinal o território dá chances. Shi, obrigado pelo gosto apurado que demonstrou... rs, mas prepare-se para ler minhas velharias. Limparei a naftalina, e algum bolor que existe nelas. Beijos

Crys disse...

"...lindo poema, que completa dez aninhos". Na verdade Dácio querido, são trinta aninhos, viu? Obrigada Dácio, Obrigada Shi, vcs são uns amores. Beijos!

Dora disse...

Gente! Que bela união de talentos! Fico orgulhosa dela! Porque tenho um enorme afeto por vocês dois!
O poema está de uma delicadeza tal, que me deixou a impressão de poder tocá-lo e sentir a leveza da onda se desmanchando... e deixando a mensagem para os amantes.
Gostei, Crys! Gostei, Dácio!
Parabenizo a ambos.
E deixo aquele abraço apertado!
Dora

dácio jaegger disse...

Crys, fica combinado que não se pode mentir aqui; são trinta anos; vc não deixou passar despercebido. Então que se perceba...rs./bjus

Cláudia Pit disse...

Oi amigos, vim conferir essa união, que na minha opinião está perfeita!
Voltarei e até já os linkei para continuar conferindo os poemas e poesias que tens para nos mostrar...

Sucesso a ambos,
bjs
Cláudia Pit

Lela disse...

Amiga, fico muito feliz em ler seus versos. Vc sabe, já lhe disse em outras ocasiões, vc pra mim sempre foi uma cronista poetisa. Saber que seus versos estarão em partilha com os do meu amigopisciano, Dacinho, putz... bom pordemais! Crys, te gosto, viu? Beijo grande! Ah, minhalinda, deste mar de onde ondas molharam versos, mais poesia, eu sei, navegará!

adelaide amorim disse...

Bela dupla! :) Belém e Niterói reunidos pela poesia - gostei da parceria. Toda sorte e sucesso pra vocês. Beijos beijos.

Taís Morais disse...

que lindo blog.
Agora tenho mais um sítio para me alegrar.

te beijo.

Taís

luma disse...

Trinta anos? Parece que foi feito ontem!! (rs*) Vida longa ao bloguinho!! Beijus

Betty Branco Martins disse...

Eatá perfeita esta uunião:))

O poema é lindíssimo

SUCESSOS___________muitos para os dois

Beijinhos com carinho

BFSemana

Ceci disse...

Crys, Dácio, por esta felicidade das espumas eu não esperava! Surpresa das boas! Que o Amor se espalhe costa a costa, carregada por suas poesias! Abraços, lindos amigos! E Parabéns pela realização de mais um sonho, nesse blog poético!!!

rubo medina disse...

Tudo muito lindo, Crys! O poema escrito na areia, o novo blog, e para brindar tudo isso, você e o Dácio, que parceria...!
Beijos, bom fds.

Jota Effe Esse disse...

Vim trazer meus elogios e encontrei um belo poema para auela época, feito em Salinas. Salinas é perto de Arassuaí? Beijos.

Loba disse...

Uau! Que lindo!!!!
Eu amei a idéia de juntar duas criaturas (termo da Shi) que eu tb adoro e que são tão diferentes. O mais legal é que as diferenças se completam!!!
Crys, já estou preparando a almofada em que me sentarei pra revirar o seu baú, viu? Tenho certeza que haverá muitas surpresas! rs...
Amei, gente! De verdade! E fiquei até com uma pontinha de inveja... talvez da coragem de abrir baús...rs... os meus estão tão fechados que nem sei se encontro as chaves!!!
Beijoconas nos dois!!!!

Erika disse...

Oi Crys, gostei muito do espaço. Está favoritado, com certeza.
Parabéns a vc e ao Dácio pela iniciativa.

Beijos

adelaide amorim disse...

Gostei muito do poema, Crys. Vocês vão longe... Um beijão.

Lino disse...

Vim conhecer o novo espaço e o que encontro? Um belíssimo poema.
Você e o Dácio estão de parabéns pela criação.

ana. disse...

Quando abrimos nosso baú de ilusões, sempre temos uma poesia adormecida e amarelada pelo tempo, mas esta naum perde jamais sua essência e sensibilidade pq foi etrnizada numa folha de papel mesmo q a tinta esteja desbotada.
Parabéns pela idéia e o poema tb.
Beijos POéticos.
;**