quarta-feira, 11 de julho de 2007

Naturalmente que a juventude é do conhecimento parco, do companheirismo relativo, da revolução, do consertar o mundo, mesmo que só; do arroubo religioso uns, político alguns, amoroso outros e das incongruências. Escritos voam, palavras ficam, ou vice-versa. Se não há baús, há gavetas, pastas e até livros e revistas que abrigam manuscritos.

Rasgue-se

Mulher, o que pensas da vida,
Se não sabes o que tu és?
A qualquer homem dás guarida,
Nunca esperando um revés.

Tu sofres por culpa tua!
Nunca penses que a nós,
Tornarás deuses da lua.

Não tentes se igualar ao homem,
Tu que nascestes flor de lis!
Que, por um cardo, não a tomem!
Compreendas minha amiga!

Pois caro será o tributo.
Por ti, mulher, eu luto,
Quando a conta não é antiga.

Niterói, 22/09/1956

Dácio Jaegger

8 comentários:

Tânia disse...

Meu Caro e Querido Amigo Criador do CinePoemArte e do Ars Poiesis possuo lembranças, rabiscos e notas; gavetas repletas de rompantes.
Hoje estão lá, guardados na gaveta e muitas vezes sentido no coração.
Beijo grandeeeeeeee

Shi disse...

Num rasgo nada - me rasgue vc, Queridácio ;-) Bjão!

Jota Effe Esse disse...

Já em 1956 mostravas talento e discernimento ao mostrar à mulher a fria em que ela estava entrando e achando que era libertação. Abraços.

Loba disse...

É Dacinho, foi preciso brigar pela igualdade pra depois ter validadas as diferenças, né? Sem feminismos ou machismos invertidos: esta que inspirou os versos deve ter sido uma putamulher! rs..
Beijoconas

Anônimo disse...

que belo, Dácio.
Um poema em que se lê com um sorriso.

te beijo

Taís

Ceci disse...

Verdades integrais ou nao, pouco importa...As palavras de um tempo voam das gavetas, se mostram sinceras. E a mulher com suas lutas por libertar-se das ilusoes, fantasias, romantismos, cadeias...
Luta pra restaurar seus conhecimentos ancestrais, perdidos ou dispersos na avareza social...luta pra saber quem é.
Abraços!

Iara Loba disse...

Hum eu vim conhecer mais este blog.
Vocês estão de parabéns muito bom.
Passando só para deixar um grande abraço.
Acho que neste tempo é o que podemos fazer uns com os outros, nos abraçar nem que seja virtualmente né amigo.
Abraços em vocês.

naenorocha1@hotmail.com disse...

Aos meus olhos são aberrantes as direnças entre homem e mulher. Igualam-se apenas quando Deus vai contar as cabeaças. Mas mesmo assim, se for pelas cabeças, a muler obtém maior número de pontos favoráveis. Uma características que as mulheres não se aperceberam, quando partiram para o movimento feminino, foi de sua importância, que têem em assegurarem ao mundo de que ele estava já em boas mãos, sendo elas quem são, independentes, ao contrário do homem, um feitor, um carregador de sacos. A mulher carrega sonhos bons e racionalidade em tudo que faz. O homem um executor, orientado por elas. Porque, quer queiramos ou não nós os homems somos um produto da.

Um abraço
Naeno